sábado, 28 de março de 2009

Antropofagismo





Eu, sem ser antropófago,

já saboreei muita gente por aí.

Minhas preferências são os esbeltos

violônicos corpos femininos: a mulher.

Ah! Se a humanidade fosse toda antropófoga

como eu teria o prazer de ser devorado

em um banquete ou bacanal de lindas garotas

sexys, histéricas, eróticas

e eu, em cima de uma mesa qualquer totalmente nu.

Assado ou cozido.

Recheado de cebolas, tomates e farofas.

Enquanto Odete espetava um dos meus esverdeados olhos

que outrora foram profanos,

Judite arrancava minha língua e mastigava furiosamente.

Depois Maria Helena

pegava uma faquinha de mesa e cortava

delicadamente meu pênis ereto e dizia entre-dentes:

-Como é gostoso esse Mário Gomes.

*

Mario Gomes

(do livro Uma Violenta Orgia Universal)

7 comentários:

dyego disse...

Não posso me considerar um grande leitor mas,mario gomes é um dos melhores poetas que já lí.

Robespierre disse...

Mário Gomes, o poeta louco e bandido, é um daqueles tipos raros que afloram dentro da sociedade humana e poderia sem dúvida nenhuma ser comparado a um gênio contestador tipo Plínio Marcos, outro expoente incomum.

Vicente Freitas disse...

Vi o blog e gostei muito. Sou amigo do poeta Mário Gomes, e admirador de sua poesia. Veja minha página:
http://www.mariogomespoeta.blogspot.com

Paty Lopes disse...

Mário consegue sempre essa proeza de tocar N almas seja com sua ironia, seja com seu humor ou com seu drama... sempre sutil e autêntico!

daniel disse...

não conhecia as obras literarias de mario, mas conheci ele cm um vagabundo ou vagamundo andarilho, um grande homen um grande poeta, calto, simpatico, e muito estrovertido principalmente perto de mulher, pois são as suas inspiraçao, não só dele mas de qualquer homen que aprecia a belesa feminina......

Filha de Sade disse...

Viva Mario Gomes!

Carlos Moreira disse...

Folheando os jornais ultimos, vi a noticia "morre o poeta Mario Gomes", pensei... sei nem quem e... mas ao ver as fotos me recordei plenamente daquela imagem tresloucada e estranha aos olhos de muitos. O vi por diversas vezes baforando um cigarro torto entre as mãos. De imediato procurei todas as informaçoes possiveis e as suas poesias, me dignifiquei com todas. Grande perda.